CARREGANDO

O que você procura

Especiais Fotos

Pelo Mundo ESPM apresenta: Ubatuba

Compartilhar

Juan Cuela – (2º semestre)

A cidade de Ubatuba, localizada no litoral norte do estado de São Paulo, abriga dois centros dedicados à preservação da vida marinha, sendo eles o Aquário de Ubatuba e a base do Projeto TAMAR. Os dois locais estão abertos à visitação pública mediante pagamento, e neles se realizam pesquisas científicas. Inaugurado em fevereiro de 1996 no bairro Barra da Lagoa, o Aquário de Ubatuba é pioneiro em vários aspectos, como o tanque de águas vivas e o conceito de tanque de toque, no qual os visitantes podem encostar em alguns seres vivos como ouriços e estrelas-do-mar. Através da aplicação do conceito de edutainment, que mistura educação e entretenimento, o recinto prioriza ensinar seus visitantes a importância da conservação da vida marinha. Possui, inclusive, uma seção na qual encontram-se detritos recolhidos do mar, para que se perceba o quanto eles afetam os animais marítimos. Situam-se no local 12 tanques de água salgada, que abrigam as mais variadas espécies, e um dos poucos pinguinários do país. O aquário é conveniado a 110 instituições, com as quais realiza pesquisas e propicia excursões. O valor do ingresso é de 15 reais a meia-entrada e 30 reais a inteira, se o pagamento for em dinheiro. A 900 metros do aquário, no bairro Itaguá, encontra-se uma das 24 bases do projeto TAMAR. O nome TAMAR é uma contração das palavras tartaruga e marinha. O projeto surgiu na década de 80 e trabalha pela preservação de tartarugas marinhas e de outras espécies marinhas em extinção. A base ubatubense foi a primeira instalada em local de alimentação de tartarugas marinhas. Dispõe de cinco tanques desta espécie, além cinco terrários de tartarugas terrestres e de água doce; no local também se encontram várias réplicas de tartarugas em tamanho real. Assim como o aquário da cidade, a base preza pela educação ambiental dos visitantes, e por isso abriga um museu temático com peças biológicas, como esqueletos e ossos, painéis educativos e exposições fotográficas periódicas. Recebe, em média, 100.000 pessoas por ano. O valor dos ingressos varia entre 10 e 50 reais e todos os recursos arrecadados são revertidos para a proteção das tartarugas marinhas e o desenvolvimento de comunidades litorâneas. Crianças e idosos não pagam.
Tags:

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *