CARREGANDO

O que você procura

Destaque Geral Notícias

Abraji realiza 15º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo

Compartilhar

Lucas Tadeu (3º semestre)

On-line e gratuito. Foi desta forma que a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) realizou, no último final de semana, o 15º encontro. Dentre os principais temas em debate, o racismo dentro e fora das redações, apresentado por Flavia Lima (Folha de S.Paulo), Nikole Hannah-Jones (1619 project/NYT) e Yasmin Santos (revista piauí), como cobrir trabalho escravo e outros direitos trabalhistas, por Leonardo Sakamoto (Repórter Brasil/UOL) e Piero Locatelli (Repórter Brasil), e os desafios para o jornalismo e técnicas de verificação relacionados com a desinformação, com o canadense Craig Silverman (BuzzFeed).

Além dos temas mencionados acima, Aliaume Leroy (BBC), Daiene Mendes (Favela em Pauta) e Juca Guimarães (Alma Preta) conversaram com o público sobre como a BBC desvendou um crime brutal na África. A história começou a partir de um vídeo que saiu nas redes sociais, de radicais do Boko Haram, entre a fronteira de Nigéria e Camarões, assassinando duas mulheres e duas crianças. Este crime mexeu com as redes e as pessoas, logo a BBC entrou com uma investigação para descobrir onde foi o crime, quem poderia ter cometido e quando.

O jornalista Aliaume Leroy é editor sobre matérias da África e liderou o time investigativo. O grupo usou técnicas como open source, além de outras mais inovadoras e tudo totalmente digital, sem ter que ir aos possíveis locais. As análises foram em todos os sentidos, por exemplo, ouvindo a língua falada, que era o francês. Depois viram o tipo de plantação e como elas estavam, descobrindo a estação e as características da região. Além disso, conseguiram ver as armas que os assassinos carregavam e sabiam quem teria comprado, pois ela vinha do exército. Por fim, observaram as cadeias de montanhas, fizeram os traçados e jogaram no google maps, e assim acharam local, mês e ano do ocorrido. Cinco pessoas foram presas após essa investigação.

Aliaume diz que o processo levou meses para ser concluído, e contou com a ajuda de muitas pessoas, tanto na questão jornalística, como na da área tecnológica. Ainda completou que neste ramo é preciso muita paciência e se acostumar com certas coisas, pois é um trabalho muito árduo.

Tags:

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *